Tuesday, November 14, 2006

Ser ou não ser idealista?!!!O que fazer?


Muitos pensarão, na análise da minha expressão escrita que sou uma eterna idealista. Que tento abordar temas como a paz, equilibio, mudança, e acima de tudo na expressividade do próprio eu, mas que na prática assim não a exerço.


Idelizar é visualizar algo que depoios não é colocado em prática no nosso dia dia, - que fica apenas em nossa mente - torna-se ideologia utópica, por vezes. Não é possivel realizá-la.



Confesso sim... sou idealista. Mas creio que não sou só eu.

Todos nós temos de idealizar algo para tornarmo-nos pessoas mais maduras, evoluidas e conscientes.

Idealizamos sempre coisas.

Muitas pessoas idealizam para seus futuros coisas práticas, materiais e funcionais.

Outros idealizam coisas mais do forum psiquico e espiritual. Como eu.


Na verdade, e como disse antes, temos de ter o equilibrio das coisas.

Temos de tentar assegurar a nossa estabilidade financeira/projecto material, para assegurarmos também outros sectores de estabilidade interior.


Estarmos seguros de que o dinheiro não nos escorrega pela mão, é a preparação para um amanhã mais risonho e mais estável também.


Não creio ser interesseira ou hipócrita quando digo isto. Porque realmente, mesmo na minha vida isso não se manifeste, temos de ter consciência que o dinheiro neste mundo é necessário.


Mas também podemos idealizar dinheiro como um componente do dia a dia, que interage com a nossa praticidade diária. Não fazer do dinheiro um Deus ou algo supremo, como muitos fazem. Vivem disso e para isso.


Idelizamos outras coisas mais, ao nivel espiritual, como ajudar outros num mundo melhor, fazendo por isso mesmo.


O que importa não é só idealizar.


É pôr em prática aquilo que idealizamos.

É pelo menos tentar.


É idealizar - projectar - e praticar - para se chegar ao sucesso do objecto a desenvolver.


Eu idealizo muito. Acredito que as pessoas poderão por em prática os seus projectos de vida.


Mas também do conhecimento que adquiro diáriamente, tento passar e transmitir aos meus amigos, e pessoas que estão perto de mim, no meu pequeno nucleo.


O conhecimento sem prática, é inimigo da consciência pro activa.


se não praticarmos o que conhecemos, e não transmitirmos, passarmos a outros. Então estaremos a desperdiçar tempo, na aquisição de conhecimentos. Em todas as aprendizagens e experiências de vida.


Na verdade não é idealizarmos apenas, mas sim tentar pôr em prática os conhecimentos adquiridos.

Um dia podemos conseguir fazer melhor.

Um dia conseguiremos fazer pior.

Mesmo porque o ser Humano é falivel.

Também erra e é imperfeito.

Portanto, não devemos criticar os outros atacando-os de serem assim ou serem assado, sem antes vermos como somos nos próprios e da nossa consciência quando passamos aos outros valores e principios e experiências, nessa medida.


Olhar para dentro de nós tem de ser uma constante.

É um programa a desenvolver diáriamente, mais e mais.

Com coisas boas e menos boas, com atitudes mais conscientes e atitudes menos conscientes, mas temos é de reconhecer quando erramos nas nossas atitudes, para dar largas a nova aquisição de conhecimentos.


é importante reconhecer que erramos e se erramos é para aprender e tirar alguma elacção desse erro.

Para melhorar, basta querermos.

Basta estarmos receptivos á mudança, e basta desejarmos assim sermos seres melhores.


O que idelaizo é isso.

É ser melhor todos os dias da minha vida.

É não cometer os mesmos erros que cometi em tempos.

É aprender a lição. E dar a conhecer a outros a minha experiência de vida.

É ir mais além...um dia de cada vez...

É seguir a minha missão de vida - missão 11.


Não idealizo ser feliz. Porque é um tipo de valor relativo.


Mas idealizo ser e fazer melhor, diáriamente.

Dia após dia.

E estar sempre em sintonia com o que sou por dentro. Genuinamente.


Pois assim, saberei que estarei em sintonia com o Universo, também...




5 comments:

A Revoluçao Feita por Nós said...

Como o prometido é devido, vejo-me na contingência de ter de comentar este Post sobre ser ou nao ser Idealista. Li de certa forma com um sorriso nos lábios. Um dia explico-te porquê. Hoje limito-me a comentar apenas o facto de termos ideias de que naturalmente gostariamos de as por em prática.

As tuas ideias, as minhas e as de todas as outras pessoas, principalmente daqueles idealizadores que como nós tem objectivos. Mas cuidado...porque normalmente a idealizaçao torna-se em fantasia. E nesse caso temos de saber discernir.

Em tempos fui acusado por uma "amiga"( sinceramente nao sei quem foi...constou-me...lol) de "atacar" os outros porque na idealização das minhas proprias ideias ( umas boas..outras más e vis) e da minha pessoa, no que concerne a diversos parametros de vida, mencionei o facto de muitas vezes nós pessoas, principalmente mulheres idealizarem para a sua vida , primeiramente alguma estabilidade financeira. Não quer com isto dizer que seja errado.Porque na verdade não o é.

Alias hoje referiste aqui no Blog o que eu anteriormente tinha referido muitas vezes se bem que de uma forma mais "raivosa" e quiça não menos invejosa.Mas o que é certo é que toquei nesse ponto em tempos porque achei que era uma verdade que era a consequencia do que realmente as pessoas também precisam.

Como factor nao sendo primordial, é concerteza de enorme importância. Porque a estabilidade nao se dá apenas numa cabana com beijos e carinhos. E para ser objectivo ...uma mulher...precisa de Coisas! E coisas é isso mesmo. Tudo o que esteja fora do contexto de amor mas que de certa forma esta interligado e proporciona bem estar. E bem estar... é proporcinado atraves de alguns bens materiais, dos quais não podemos fugir, mas dos quais Idealizamos para a nossa vida. Até eu!

Nós vivemos numa cidade...não vivemos num monte tibetano. Estamos rodeados de dinheiro...e de um pecado...que nem é pecado...e de uma gula que nem é gula.É simplesmente o que é.A nossa mente aqui não é alimentada da mesma forma que é a de um Budista Tibetano ou outro.Somos fruto do País ou mundo global tambem que vivemos. Mas é de louvar podermos muitos de nós termos ainda a consciencia e atitude de pelo menos explanarmos estes assuntos.


E acho que hoje consegues perceber muito melhor isso...que antigamente, até pela evoluçao e vivencia que te é proporcionada de outra forma. Num mundo em constante evolução é inevitavel nao compararmos. E comparando...chegamos á inevitavel conclusão da sua propria razão.

Em relaçao ao amor, a idealização causa certos estragos, sabes pk? Porque ao idealizarmos estamos a querer precavermo-nos do futuro sem viver o momento. Perdemo-nos sem nos consumirmos, e consumimos o amor na esperança que ele nos possa trazer o que idealizamos. Idealizar é bom...sem duvida. Mas é perigoso. Pensamos sempre não no momento apenas presente...mas partimos logo para as duvidas: Será um amor de novela: ele se consumirá por mim, ela retribuirá todos os meus olhares, ele será forte e me protegerá, ela será frágil e me deixará tomar as decisões, ele nunca vai perder o emprego, ela nunca vai ganhar peso, ele nunca olhará para outra, ela sempre vai dizer sim. E ao idealizarmos uma quantidade de visões que temos e que pertençem aos meandros do subconsciente entramos e como disses-te e muito bem...na utopia generalizada.Concordo que deveremos ser mais espirituais. Mas tambem concordo que a espiritualizaçao do ser e de estarmos bem, não depende so de nós, mas sim da estabilidade global.Trabalho, amigos,pais, dinheiro entre outros. pensarias em estabilidade e sermos mais espirituais rodeados de problemas e dividas? Pensariamos mais espiritualmente se realmente estivessemos de espirito livre ou por outra se o nosso espirito tivesse alimentado e sossegado pela propria estabilidade da vida? Precisamos de um espirito livre ou de uma vida livre para esse espirito?

Gostei muito e acho que podemos debater sempre estas questões com opiniões claras, mesmo que divergentes na procura de tanto ajudar como ser ajudados.

Do Papá da Caty...para a Mamã da Caty....Kisses e continua! Estes assuntos excitam-me! hehehe!

rakkicesdarakette - take II said...

Creio que após a leitura do texto não percebeste que o que quero dizer com isto é que precisamos de dinheiro, para o dia a dia, para sobrevivermos, para estarmos no nosso local de trabalho, para sobrevivermos. Não precisamos de coisas para satisfazer o nosso ego, mas sim para vivermos o dia a dia com o minimo de condições. Falas de uma abrodagem supérfula, e ao longo do teu comentário, não fals de coisas a que faço referência. Só apontas para um tema. O dinheiro.
Eu não idealizo ter dinheiro.
Idelaizo viver um dia de cada vez.
Essa é a mensagem que quero transmitir no blog.
Mas compreendo que tem de haver o minimo de condições para se poder viver condignamente.
Aquilo que estás a querer deturpar é a noção de ambição. Eu não ambiciono ter dinheiro. Mas sim que me dê para o meu dia a dia com qualidade.
Não preciso de ter um acrro, para ser independente. Não preciso de ter alguém que tenha isso, para poder ser independente.
Porque apenas preciso de ter dinheiro para comer, e para realizar os pequenos cuidados de higiene e bem estar, próprios da vida diária.
O teu texto leva a um assunto irónico, quanto á minha pessoa.
Não foi nada disso que transmiti no meu.
Tenta perceber que o que importa quando idealizamos algo, é realizá.lo, e não viver num mundo de fantasias.
Por isso devemos sempre idealizar aquilo que podemos alcançar. Estipulando metas e objectivos prioritários.
Pensa nisso...
Talvez tenhas percebido o que quero dizer.
Raquel

rakkicesdarakette - take II said...

Se perceberes as coisas como uma piramide, perceberás que as pessoas não devem colocar em primeiro lugar coisas impossiveis de idealizar. Mas sim algo que conseguem colocar na prática, no dia a dia. Porque quando receberem mais do que estão á espera, a surpresa será muito maior. Porque não se estava á espera.
Quanto á idealização do amor é a mesma coisa. Não devemos idelaizar um grande amor. Devemos vivê-lo. Devemos dar e receber, sem nada cobrar. Devemos ter respeito pelos outros, e ajuda-los quando precisam. E devemos saber escutar os outros, nas suas necessidades. Devemos viver o amor de forma intensa, sem idealizar nada. Nme procurar nada. As coisas que nos pertençem á nossa mão nos vêm calhar.
Quanto mais se procura, menos se encontra.
Quanto mais se idealiza maior o risco de nos frustrarmos.
Por isso, o melhor é não idealizar, nem criar espectativas de algo. Devemos apenas viver intensamente um dia de cada vez e ainda assim termos a consciência - não de que as mulheres precisem de coisas - mas sim, de que todas as pessoas precisam de viver com o minimo de dignidade. Não em função dos outros, mas deles próprios. Proporcionando bem estar e equilibrio.

airam said...

está tudo muito bonito podes continuar

A Revoluçao Feita por Nós said...

Olha...so agora reparei nos comentarios todos. As minhas questões nao vão no sentido de te perguntar se idealizas ter dinheiro ou ter amor. O que tu idealizas é um conceito teu que tem de ser respeitado. O espaço onde deixamos comentarios vai so no sentido de dar-mos a nossa opinião da mesma forma que todos nos damos uns aos outros. Respeito a tua opinião e a minha nao diverge em nada da tua. Reportei-me ao dinheiro no sentido de que é algo que todos necessitamos. Não mencionei em nenhum momento ou falei de ambiçao versus dinheiro. Isso é uma opiniao respeitavel e que existe.Mas nao é a forma com que o disse ou dei a entender. Superfulo é falarmos de coisas que nao comentei. Eu concordo contigo em muitas questões que sao pertinentes. So nao concordo com o facto de que ter dinheiro nao nos levanta o ego. Pelo contrario...muito pelo contrario.Mas isso é um bom tema para um post. E quanto ao das ironias do destino ou em relaçao a ti...é sempre uma visão que podes ter. Errada ou nao...é a tua visaõ. O que tambem respeito.

Beijos