Thursday, November 09, 2006

Quando acordamos de bem com o mundo...


Quando acordamos de bem com o mundo, temos necessidade de o abraçar.

De o contemplar e de ver florescer tudo á nossa volta.

Temos vontade de preparar, de colher, de ver, de sentir, de tudo.

Temos vontade de transparecer em tudo com imensa intensidade.

Temos inspiração suficiente, que nos dá a força necessária para viver mais um dia.


Não é uma euforia contagiante, mas está quase lá.

Quando transmitimos tristezas, é porque o nosso coração não está em sintonia com o universo.

Estamos magoados com algo, e temos de compreender todo o contexto envolvente.

Compreendermos-nos a nós próprios é uma constante e a tentativa de compreender os outros, ainda mais.


Não temos a fada de condão, para saber o que os outros sentem , ou pensam. Mas pela sua forma expressiva de se movimentarem, de se dispersarem, ou de se afastarem de algo, vemos isso.


Viver com alegria, é muito bom, e devemos tentar colocar essa ajuda positiva na nossa mente e nosso coração, para a utilizarmos no nosso dia a dia como utensilio util.


A alegria está próxima da prosperidade. Da positividade.

Temos de ser mais positivos e não tão monótonos, tão deprimentes, nas nossas vidas.

A alegria quebra a monotonia das coisas.


O povo português é muito triste e precisa de ter uma perspectiva mas positiva em relação ás coisas. Não podemos estar sempre deprimidos, a chorar pelos cantos, fazendo-nos de vitimas.

No fundo, somos todos vitimas da sociedade.


Dentro do nosso coração poderemos nós criar a nossa própria sociedade. Criar as nossas próprias regras de adaptação, de assimilação, e de segregação de entendimento das coisas e acima de tudo, escolhermos nós, por nós proprios as nossas opções de vida.


Tal como temos o livro arbitrio para sabermos bem o que queremos e escolhemos para as nossas vidas, tendo como prisma uma visão qualitativa, temos também o entusiasmo da alegria que nos contagia, e nos torna mais leves, mais soltos e mais atentos e brincalhões aos estádios emocionais.


Temos de viver e saber viver.

Temos de nos saber adaptar ás mudanças da vida, e de as aceitar com amor, para que elas possam fluir positivamente.

Seja a mudarmos de casa, seja a mudarmos de país, a mudarmos de emprego, a mudarmos de contexto ou de café.


Tudo implica mudança.

Então que seja uma mudança positiva.

Uma mudança que nos leve á leveza das coisas e á prosperidade.


Teremos sempre o livro arbitrio para aceitar e respeitar as nossas próprias escolhas e decisões.

Não podemos voltar atrás no tempo, mas podemos remedi-alo, criando alternativas, soluções.

Tudo tem uma solução.

Até para a morte, já há solução, pelo menos na forma de pensar....


Mudemos, mudemos sempre para melhor e mudemos acima de tudo, porque assim o queremos e desejamos.

Aceitar a mudança faz parte do amadurecimento interior, qualitativo no nosso ser...


Obrigado a tudo o que muda, e nos faz pensar de maneira diferente.

Mudar a razão de consciência e a habilidade do coração.

Versatilidade. Positividade. Equilibrio consciente....

Pózinhos prlim pim pim...


Bem, ainda tou a meio do livro: "A MUDANÇA ESTÁ TODA NAS TUAS MÃOS"...

E ainda não me cancei destes temas....


Alguém me pode dar a tal dose de morfina que tou a precisar para mudar de tema...???''

É que este é viciante, ihihihihih.

Beijos


Quero dedicar este tema a uma menina muito especial de nome Sandra, que me inspirou para a abordagem do tema.


Sandrinha: Muda, porque ao mudares de vida, estás a dar oportunidade a ti própria de vires a ser feliz. De ter qualidade de vida e de prosperar na luz e no amor. Paz amiga. Muita paz.

2 comments:

Pi said...

MIGAAAAAAAA!!! GDE!!! GDE !!! GDE EM TUDO!!! EXCEPTO NA ALTURA!! LOL TB ISSO E PORMENOR !!!
MTO OBRIGADA PELA SABEDORIA DAS PALAVRAS, POR SERES QUEM ÊS!!! POR TUDO!!

ESTOU DISPONIVEL SPRE PARA VÓS !! KISS AS MENINAS LINDAS!!!!
SANDRA

Sandra said...

Adoro-te!


Patacôncia