Thursday, May 17, 2007

Nada é por acaso...


Creio que na vida nada é por acaso,
e se as coisas vão acontecendo na nossa vida,
e termos de tomar as nossas escolhas, é porque nos encontramos aptos para a resoluçao dessas mesmas escolhas, estamos aptos para mudar, a lógica e a vivência das coisas, mediante a nossa mudança de atitude.

Podemos é não ter essa consciênca.
De que somos ou não capazes de enfrentar o novo.
De sermos ou não capazes de abrir novos horizontes e aceitar a mudança.
Podemos, portanto, não nos sentirmos preparados para mudança que há-de vir.
Para aceitar o grande desafio de viver e de procurar a nossa estabilidade emocional.
Podemos nos encontrar fragilizados interiormente e isso não nos permite avançar, por vezes. E fazemos resistência ao novo.Podemos também estar bloqueados por factores do passado, que não nos permite avançar. Recalcamentos e receios do passado, por exemplo.


Existem vários tipos de mudança.(mudança brucas,suave, repentina, calma, equilibrada,e muitas vezes ciclíca etc)

Mudança é tudo aquilo que tem o objectivo de ser alterado. Que predispõe determinada alteração.
Temos tb o objecto da mudança.
O motivo que nos levou a mudar.
O alicerce que tivémos de manter, para que a mudança não se tornasse tão desarriagada de nós mesmos.

Por isso dizemos:
O tempo está em constante mudança.

"Mudam-se os tempos,
mudam-se as vontades,
muda-se o ser e muda-se a confiança.
Todo o mundo é composto de mudança,
tomando sempre novas qualidades."

Se tivermos em atenção o poema do Grande Luis de Camões,
poderemos observar que mudança gera novas qualidades.
Portanto, renovou algo.
Que precisava de ser alterado.
E a nossa capacidadede aceitar a mudança é que é o primeio passo para nos sentirmos equilibrados ou não na grande atmosfera da vida.
Para termos um equilibrio activo e consciente, temos também de estar despertos ás mudanças, que nos surgem diáriamente, ciclicamente, que se apresenta na vida de cada um.

Podemos não nos sentir preparados para a aceitação da mudança.
Podemos não querer avançar (e fazer resistência á muança)
e podemos também escolher dar as boas vindas á mudança, ao novo, ao que vem de novo para as nossas vidas.

Se o novo é bom? Se o novo é mau?

Tem de se vivenciar para percebermos isso, mas temos de nos consciencializar que a mudança, é também mudança de pensamento. De atitude e de acção.

E que se mudarmos primeiro a nossa atitude em relação á propria mudança, se mudarmos o nosso pensamento, e aceitarmos as coisas novas vindouras, com uma mior flexibilidade e elasticidade, versatilidade e capacidade de assimilação e encaixe, é muito mais fácil abrir largas á mudança, e dar-lhe as boas vindas.
Tudo se torna mais fácil e aliás menos perturbador ao nivel emocional, psiquico e até fisico, pois o ser humano é um todo.


É dificil dizer, "que mudaremos essa questão"
Porque na verdade isso é fututo.
E o futuro é incerto e inconstante.
Mas podemos dizer:
Vamos tentar mudar nesse campo. Porque ao tentar, já estamos a nos predispormos para mudar pelo menos o nosso pensamento, a nossa predisposição para a acção, que é a atitude.

E ainda podemos dizer:
Estamos em constante mudança. Aguardemos um dia de cada vez.

Para mudarmos, basta queremos.
Mas não mudarmos da boca para fora.
Mudarmos de dentro.
Mudarmos o nosso pensamento, mudarmos a nossa forma de nos predispôrmos perante o universo, e mudarmos a nossa atitude para connosco próprios e com os outros.

A dificuldade que existe no acto de mudar, também só depende de cada um de nós, em querer mudar ou não.
Mas antes de queremos mudar,temos de aceitar e dar as boas vindas á prória mudança.
Daí as mudanças serem complicadas ou não consoante aquilo que escolhemos para nós.
Aceitar ou resitir?

Quanto maior for a resistência ás coisas novas, menor será a nossa capacidade de nos mantermos equilibrados.

O equilibrio é interior e só depois se predipõe para o exterior, e está ao alcance de todos.

Basta queremos:

Citação do livro:
"A MUDANÇA ESTÁ TODA NAS TUAS MÃOS", por Raquel Ramos

2 comments:

Pi said...

ah pois está! nas tuas, nas minhas, nas nossas mãos... sem medos, vamos em frente!

bj

Tartaruguinha said...

Ai miúda que andas tu a fazer hein??? Resistência à mudança tststststs ás vezes pareces alguém que eu conheço :)
beijos beijos