Tuesday, February 27, 2007

Finalmente..dei á costa!!!


Finalmente...dei á costa, e lembro a todos os que se dignam a ler que ainda tenho força, pouca, mas alguma para voltar até aqui e elogiar a frescura de um novo dia.

Estes ultimos tempos não tenho mesmo tido tempo para nada ou coisa alguma... ou disponibilidade - vontade, mas hoje achei que devia retomar as rédeas da minha vida e dar um pouco de BERKANO e de alegria á minha vida. Tão enfadonha e triste.

é do próprio tempo, pois claro...
O tempo que nos recolhe e nos introspecciona dentro do ser.
Ficamos parados a olhar para a chuva á espera de uma nova esperança. á espera que uma esperança surge dentro de um mar esgueirado e cinzento.

Faz bem chover.
Acalma a poeira reinante. Limpa a atmosfera. Torna mais limpo e sadio o nosso ar.
Precisamos que chova, mas a chuva faz-nos ficar melancólicos e tristes.

Mesmo não querendo, temos sempre tendencia para olhar apenas para os nossos problemas, não os interiores, mas os problemas dos outros são sempre menores que os nossos. Os nossos são maiores em tudo...
Talvez porque os alimentamos.
Quase de certeza que é porque os alimentamos e damos de comer á nossa dor emocional.

Quando vem o sol, floresce o optimismo, a alegria, e acima de tudo a força e vitalidade para encarar as coisas mais complexas com uma maior naturalidade.

Existem muitos cérebros em que chove o ano inteiro. Se deprimem sempre.
Eu própria tb não sou muito fácil...não.
Sou uma eterna sensivel e mariquinhas.
Não facilito nada, regida por este Saturno que me corroi as veias e a mente.

Espero que o sol traga alegria a todos nós.
E também a a sensibilidade, de não olharmos apenas para os nossos umbigos, mas sim dar atenção á pessoa que está mesmo ao nosso lado e que precisa de algo. Ou não, talvez precise apenas de amor. De um gesto de amabilidade, de carinho ou de afecto.

Paremos todos de olhar para o inverno. E demos largas ao sol e á alegria que ele tem para nos dar.

Não devemos também parar com as nossas convicções.
Não devemos parar de seguir os nossos sonhos, os nossos objectivos.
As nossas convicções e as nossas verdades são intimas pessoais e devemos-lhe fidelidade.
Aquilo que somos devemos ser. Sempre.
Não devemos mudar pelos outros mas sim por nós.
Não devemos seguir o que os outros querem mas sim o que nos diz o coração.
Confiança em nós próprios é o primeiro passo, para mudarmos algo.
Algo em que acreditamos.

Finalmente...
Finalmente dei á costa...
E pareçe que vim para ficar mais uns tempos....

1 comment:

Pi said...

mesmo qd chove há sp um sol q nos ilumina o coração e nos mostra o caminho, da amizade, do amor, da partilha. deves inspirar a vida como ela é, sem receios ou questões, dia a dia, passo a passo, tudo se constroi, tudo se enquadra, tudo se relaciona...por mais distante e oposto q seja.
sorri querida raquel, sorri, chora, grita, canta, sussurra o q te vai na alma..e vai ficando por esta costa.. tranquila!

muitos beijos
patrícia